Eyeshield 21 é um mangá que eu tenho curiosidade desde que comecei a me interessar por animes/mangás de esporte. É daquelas obras que não costumam ser muito faladas, mas quem lê gosta bastante. E, depois de mais ou menos dois meses de leitura, eu finalmente acabei e posso dizer sem medo: é uma das melhores coisas que já li até hoje!

Antes de mais nada, o que é Eyeshield 21? Bom, Eyeshield 21 é um mangá de esporte escrito por Riichiro Inagaki (Dr. Stone) e desenhado por Yusuke Murata (One Punch-Man), e publicado pela Shounen Jump de 2002 a 2009.

Resultado de imagem para Eyeshield 21
O traço é muito bonito.

Eyeshield 21 fala sobre um garoto chamado Sena Kobayakawa, um tímido estudante que sempre foi feito de capacho pelos outros, ao entrar em uma escola nova, a Deimon, e se ver forçado a entrar para o clube de futebol americano da escola, graças as insistências de seus senpais, Kurita e Hiruma, após terem descoberto que Sena corre numa velocidade absurdamente rápida, o que ajudaria o clube a ganhar partidas.

Esse é o momento em que as pessoas costumam ficar com pé atrás sobre Eyeshield — futebol americano. Por ser um esporte famoso em sua maioria nos Estados Unidos, muitos não sabem as regras e sentem que não vão entender ou gostar do mangá. Eu mesmo fui uma dessas pessoas, porém Eyeshield explica as regras do esporte muito bem, e de um jeito fácil, facilitando pra quem não conhece.

Sena, após entrar no clube, é disfarçado como o corredor lendário, Eyeshield 21, e colocado como membro titular do time. Daí começa as aventuras do Deimon Devil Bats na busca por ganhar o título mais cobiçado do futebol americano colegial: o Christmas Bowl.

Por mais que Eyeshield não tenha as melhores partidas de início, ele se segura pelos personagens. O Sena, por mais que seja meio genérico, ainda é um personagem facilmente relacionável e empolgante de se ver crescer. Temos também Hiruma, que é o típico cuzão oportunista, porém extremamente inteligente, e hábil para enganar seus adversários em partidas.

Imagem relacionada
Hiruma Youichi, Quarterback dos Devil Bats, YA-HA!

Os outros membros do time também são extremamente bem feitos e carismáticos. Como Kurita, o Lineman gordo e de bom coração, e seu discípulo Komusubi, que se comunica na língua dos homens (uma língua que só homens de verdade podem entender), os três irmãos Huh-huh, que começaram como delinquentes e se tornaram poderosos aliados. Também temos Monta, o Receiver que se parece com um macaco; Taki, o idiota; Suzuna, a Cheerleader da equipe; Mamori, a diretora do time; Yukimitsu, o “esquenta banco” e Musashi, o Kicker fodão. Eu descrevi eles de forma bem simples, porém são muito carismáticos e seguram as pontas por boa parte dos primeiros 100 capítulos do mangá.

Resultado de imagem para Deimon devil bats team
O traço desse mangá é lindo PRA CARALHO, pqp

Depois de 100 capítulos de partidas de treino e o treinamento infernal conhecido como “Marcha da Morte”, Eyeshield chega no ponto aonde ele fica absolutamente incrível e perfeito, que é o torneio de outono. O torneio de outono é o ápice da química desses personagens, e de como eles são unidos e motivados para superar os desafios. E a melhor coisa disso tudo é o Hiruma. Sua mente estrategista ajuda o time a funcionar melhor junto, sem quebrar a individualidade de cada integrante.

E as estratégias que Hiruma faz são não só bem feitas, como imprevisíveis. Futebol americano é um jogo mental, então ter alguém inteligente comandando ajuda. Isso gera partidas extremamente tensas, como a partida contra os Wild Gunmen, contra os Poseidons, contra os Spiders, contra a Shinryuuji (minha favorita), contra os White Knights e contra os Dinossaurs.

Resultado de imagem para Deimon devil bats team
IKE, DEBIRU BATS!!

Porém, Eyeshield 21 é mais do que um mangá sobre um esporte — apesar dele fazer isso muito bem —, ele é sobre criar laços. Sobre achar o seu lugar. Sobre maximizar seus pontos fortes. Sobre desafiar o impossível e seguir em frente!

Eyeshield é um mangá extremamente foda e extremamente subestimado pelas pessoas. Peço que dê uma chance a esse mangá, garanto que não vai se arrepender. Ele inclusive recebeu uma adaptação em anime, porém, infelizmente, não chega a altura do mangá, tendo produção precária e sendo lotado de fillers. Vale muito mais a pena ir pelo mangá. Então vá e leia, YA-HA!!!

Anúncios