Esse post (atrasado um mês, bleh) dará início às minhas impressões semanais de Shingeki no Kyojin.


Já na primeira cena, podemos ver o excepcional trabalho dos desenhistas, cada detalhe naquela cena do Eren é lindo. Parece ser uma cena que veremos no futuro… Será no fim dessa temporada? Vamos descobrir ainda.
Sobre a intro: muito bem animada, musica agradável. Dizem combinar com o estilo do arco, eu não achei bem isso, e ela fugiu muito da pegada que as OPs de Shingeki passavam. Não precisava fazer algo com Titãs e humanos saindo no cacete, mas só se tivesse Linked Horizon eu já ficaria feliz. Mas ela é boa.
Voltando ao presente: na primeira cena, podemos ver que os personagens principais, tanto o trio como os outros, viraram do esquadrão do Viciado em Faxina, digo, Levi. Numa aparente missão pra proteger Historia e Eren, que já se provaram muito valiosos pra ambos os lados na história (RÁ!).
Na transição: voltamos aos testes que a Hange tanto gosta de fazer, aparentemente essa cena foi mal colocada em relação ao mangá, mas a forma Titã do Eren está irreconhecível — fala sério, aquela forma foi algum tipo de piada?! E lá também vai a Mikasa fazer o que ela faz de melhor: Gritar “EREN!” o anime todo. Sinceramente, que potencial inexplorado nessa menina (pelo menos até agora). Já sabemos que ela equivale a 100 soldados e o autor cisma em colocá-la como uma máquina de grito pelo protagonista, extremamente chato.
mikasachatad++
E a Historia hein? Ela parece saber de mais coisa do que parece.
Agora: o pastor Nick morreu. Uma grande fonte de possíveis informações, esse cara era um mistério que morreu de boca calada, espero que isso seja aproveitado. E na cena do crime, eu AMO a atuação da Hange, pra eles é uma atuação, pra gente é quase um deboche. Que mulherão! E ainda descobriu rapidamente que não foi um latrocínio.
E assim, com uma rápida mensagem de Erwin, que prevê os passos do inimigo, Levi e seus soldados saem da lá sem deixar pistas, assim, se aproveitando da bagunça em Trost, pra se infiltrar e poder usar o DMT.
Assim, o “algo” entra em ação e sequestra seus alvos, Eren e Historia… ou pelo menos seus dublês, já que cenas antes é possível ver que eles se separaram do grupo. Coitado do fato do Erwin ser loiro, ele é literalmente abusado sexualmente. O Velho burro nem percebe e a retomada de ambos é um sucesso.
Nesse momento, Levi cita Kenny, ele já suspeitava que este estava por trás disso, suas suspeitas só se confirmaram com o ataque logo em seguida. A menina que estava com Levi morre, e meus amigos, QUE CENA LINDA, muito bem animada, palheta de cores e iluminação sensacional, foi com certeza acima da média. KEEENNYYYY INTENSIFIES.
keeenny
Em geral, esse arco parece refletir a essência egoísta do ser humano. Eles estão lutando pela vida, alguns pela fome, mas ainda assim, os grandes se importam mais com o poder.


Essa foi minha análise do episódio 1. Deem críticas construtivas para eu ver em que posso melhorar, seria de grande ajuda!

Anúncios