Ergo Proxy é um anime bem consagrado pelas pessoas. E eu nunca entendi exatamente o por que. Eu sei que ele tem uma mensagem interessante, mas ela é transmitida tão mau e precariamente que me irrita.

Imagem relacionada
Lá vamos nós.

Ele começa com 3 episódios fortíssimos, sobre a cidade de Romdo, essa cidade distópica com robôs e que incentiva o consumismo e etc. E essa parte é realmente muito boa, as coisas são intrigantes e te instigam a pensar.

Porém, o problema começa a partir do episódio 4. Aonde, a partir daí, todos os personagens principais chegam a conclusões que nós já chegamos, e eles chegam nisso numa lentidão absurda, e absolutamente desinteressante.

Outra questão chata dele, os personagens. Os grupo dos 3 principais, Re-l, Pino e Vincent, são 90% do tempo sem sal nenhum. A Re-l, quando quer, é uma personagem até interessante. O Vincent tem até uma dúvida interessante, nessa questão de essência e etc. Mas, é só isso. E sinceramente, muitas vezes isso pode ser interessante, mas em Ergo é tudo extremamente raso e chato. Pino, é pelo menos fofa, mas é o pior tipo de personagem, pois, é um robô, fazendo ela poder dizer tudo o possível para o Plot seguir avançar.

Resultado de imagem para Ergo Proxy pino
Essa foi uma das poucas coisas proveitosas que tirei desse Show.

Fora, o excessos de episódios sem sentido, como o episódio do Quiz Show, que por mais que tenha uns diálogos sobre o mundo, não tem sentido ter uma estrutura desse jeito, e não trás nada de novo ou interessante. Ou o episódio aonde eles estão no meio o nada sem combustível, e nada acontece. É entediante.

Ele tem coisas interessantes, como o vírus Cogito, um vírus que faz as máquinas adquirirem consciência e virarem seres independentes, e outros momentos sobre essência e tudo mais. Mas, sendo bem honesto, é um anime que eu não recomendo. Talvez por conta e risco. Mas, há coisas melhores para se ver para pensar e refletir, como Evangelion ou Utena, por exemplo.

Adios!

Resultado de imagem para Ergo Proxy pino

 

Anúncios